dieta-ortomolecular.jpg

ORTOMOLECULAR

 

A terapia ortomolecular foi criada nos anos 60, pelo americano Linus Pauling, um profissional da química e ganhador do prêmio Nobel da Paz. Pauling acreditava e afirmava que a base para evitar a gripe é ingerir vitamina C, vitamina E e vitamina do complexo B, teoria que se confirmou e é utilizada pela medicina nos dias atuais. Com o avanço desse tipo de terapia, atualmente ela utiliza vitaminas, minerais e oligoelementos que auxiliam nos tratamentos contra retenção de líquidos, queda de cabelo, emagrecimento entre outras questões que é necessário haver mudanças para a melhora de saúde do paciente. O terapeuta na consulta inicial realizará um estudo minucioso sobre o histórico e estilo de vida do paciente, além de ouvir do paciente qual a necessidade que ele enxerga sobre mudanças em seu corpo. Exames serão solicitados para verificar a necessidade da ingestão de certos tipos de alimentos ou alimentos que precisam parar de ser ingeridos.

Além de uma dieta específica para a necessidade de cada paciente, a terapia ortomolecular consiste em mudanças de hábitos e de pensamentos, acredita-se que que as mudanças físicas são realizadas de dentro para fora primeiro. O exercício físico também faz parte da terapia e auxilia no alcance dos resultados esperados.

 

A terapia ou medicina ortomolecular é a que se concentra na reabilitação e equilíbrio químico do organismo

 

Além dos pontos positivos já citados pela mudança de alimentação e exercício físicos, a terapia ortomolecular neutraliza os efeitos tóxicos no corpo de uma forma geral, tecidos, músculos e células do corpo.

Os terapeutas que utilizam esse segmento como forma de tratamento para um estilo de vida mais saudável, afirmam que o corpo necessita de 45 nutrientes essenciais, como: 20 minerais, 15 vitaminas, 8 aminoácidos e 2 ácidos gordos essenciais. Com esse equilíbrio e um tratamento a longo prazo diversas doenças patológicas podem ser evitadas, como: distúrbios metabólicos da obesidade, neurológicos, pulmonares, imunológicos, cardiovasculares, ginecológicos e de outros sistemas do corpo.